quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Dicas para evitar a fadiga na Esclerose Mútipla



Fonte: Google imagens

Fiquei pensando em escrever algo que pudesse ser incorporado pelos pacientes com Esclerose Múltipla como um desafio para o autocuidado, mas com leveza.

Como a EM pode trazer sensação e sintomas diversos, muitos pacientes começam com um curso recidivante com recuperação completa entre as recidivas, outros têm uma evolução crônica e em alguns os sintomas são mais leves.

As exacerbações e remissões também são características da EM. Durante a exacerbação, novos sintomas aparecem e os que existem pioram; durante as remissões, os sintomas diminuem ou desaparecem. As recidivas podem estar associadas com período de estresse emocional e físico.

A fadiga é um dos sintomas que a EM pode apresentar, impactando diretamente na qualidade de vida.

Algumas atitudes podem ajudar para diminuir o desconforto relacionado à fadiga, melhorando a qualidade! Seja em casa, trabalho ou para a vida, podemos nos beneficiar com algumas dicas:

  • Organize sua vida: planeje cada dia, mas desencane se algo não saiu como o planejado! Replaneje. Evitando o estresse diminui a probabilidade de ter recidivas!
  • Defina metas: mantenha prioridades em ordem! Realize as tarefas por etapas, uma de cada vez. Não queira realizá-las de uma só vez, além de sobrecarregar, você pode se cansar.
  • Conserve energia: Descanse antes de iniciar as tarefas mais difíceis, interrompa a atividade caso sinta-se fadigado. Afinal, nosso corpo merece esse respeito!
  • Ambiente: tente ser organizado, mantenha objetos no mesmo lugar e de fácil alcance, evitando grandes esforços ao procurá-los. Utilize eletrodomésticos que facilite a sua vida.

Simplifique suas tarefas!!!! Simplifique sua vida!!!!! Conserve energia!!! Não se sobrecarregue!!! Não se esqueça, delegue quando necessário e não hesite em pedir ajuda!!!!

Beijos e abraços!


Adriana Caldas
Enfermeira



Bacharel em Enfermagem pela Faculdade de Medicina do ABC- FMABC. Aprimoramento/Especialização em Enfermagem em Reabilitação Física HC FMUSP. Tem experiência em atendimento individual/grupo em programa de Reabilitação Ambulatorial e Internação, incluindo Visita Domiciliária: doenças crônicas e  neurodegenerativas  na lesão medular, lesão encefálica, amputados, paralisia cerebral e nas incontinências urinárias. Atuação em Ambulatório de Bloqueio Neuromuscular (Toxina Botulínica). Educadora em Saúde em curso de cuidadores de idosos e pessoas com deficiência física.


2 comentários:

  1. Pensei q eu ia ler que a fadiga tem período, tipo, ela tem cura... Não estabilidade :( enfim, adorei o post, anotei as dicas.

    ResponderExcluir
  2. Bem dito! Coisas que no fundo desconfiávamos! Temos que dobrar o orgulho, tarefa difícil após os anos. Não sou tão velho mas extremamente exigente comigo mesmo... Tenho esperança na próxima encarnação!!! :-)

    ResponderExcluir