quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Afinal, o que é Síndrome do pânico?


Fonte: http://www.sindromedopanico.com.br/sintomas-da-sindrome-do-panico/

Síndrome do pânico, do ponto de vista médico, é um distúrbio bioquímico do cérebro. Isso quer dizer que em algum momento da vida, por alguma razão (e sempre há uma razão), seja emocional, como uma notícia pesada,  uma perda, um susto, enfim, algo que cause um abalo ou grande impacto emocional, ou algo físico, orgânico, como uma doença, um acidente, uma catástrofe que de alguma forma cause debilitação física.

Portanto, diferente do que algumas pessoas dizem, não é fraqueza, frescura ou bobagem. Necessita sim de tratamento psicológico e na maioria das vezes medicamentoso também, pois os sintomas relatados, como vertigem, falta de ar, sentimento de opressão no peito como se fosse infartar, formigamento nas extremidades, sensação de desmaio, dificuldades para engolir, apesar de não causarem risco (se o diagnóstico for mesmo apenas síndrome do pânico), causam imenso desconforto e mais ansiedade, muitas vezes impedindo que a pessoa desenvolva suas atividades diárias normais, como dirigir, trabalhar, ou mesmo ir ao mercado .

Dessa forma, com o tratamento adequado com um psicólogo, pelo qual se aprende a lidar melhor com.os sintomas por meio de exercícios específicos para controle do pânico e entender quais situações desencadeiam as crises, é fundamental até que as crises desapareçam e  vida volte ao normal.

Porém, não deve ser motivo de susto quando o profissional cuidadoso e ético encaminhe para um médico neurologista ou psiquiatra para a prescrição de medicação, pois esta visa um controle químico específico para cada caso e encurtar o prazo do sofrimento causado pelos sintomas físicos. Feito de forma adequada, o tratamento medicamentoso tem uso a curto prazo e os benefícios são muito importantes.


Abraços!

Luiza Donegá
Psicóloga




Luiza B. Donegá , 50 anos , formada em Psicologia há 25 anos, desde então atendendo na área clínica em consultório particular e em algumas instituições, atualmente, na Casa da Esperança de Santo André. Trabalha com pessoas para que elas conheçam suas potencialidades e as desenvolvam da melhor maneira, focando suas limitações para que sejam elas quais forem não as impeçam de ter qualidade de vida, dignidade e respeito. Diretora Técnica Adjunta da ABCEM.



Um comentário: