quarta-feira, 22 de março de 2017

Esclerose múltipla: a "bagagem"


Fonte: https://larseguros.wordpress.com/tag/malas/

Lendo as ultimas publicações em nosso blog e alguns comentários feitos por quem nos acompanha e, agora, a última postagem da nossa colega Fabiana a respeito de olhar com seriedade para a Esclerose Múltipla, percebo quanta força se faz necessária para carregar este " fardo" chamado EM.

Força por parte dos portadores que muitas vezes, aliás, na maioria das vezes, empregam para tentar " ultrapassar  " a doença e seguir em frente .

Força que os familiares fazem para às vezes " ignoraram" a EM e também levarem a vida pra frente.

Do ponto de vista emocional, tudo o que não é olhado de frente, nos aprisiona, nos escraviza . Algo jogado embaixo do tapete, uma hora,  nos faz tropeçar e cair.

Isso é castigo? É uma vingança da vida? 

Não ...

Como já disse antes, informação salva, esclarece, alivia e nos dá instrumentos, artifício e força para administrar a dificuldade. Falar a respeito alivia, desafoga e muitas vezes nos faz pensar e encontrar soluções novas para o mesmo problema. Tanto para o paciente, quanto para os familiares.

Ninguém está bem o tempo todo! Isso é ilusão, talvez o sonho de consumo de várias pessoas, mas não existe.

A realidade é que a Esclerose Múltipla, por enquanto, não tem cura, mas é tratável .Traz limitações, mas não impossibilita de se ter uma vida produtiva e feliz.

Mas, sim,ela merece respeito e um.olhar de perto, com cuidados médico, emocional, religioso para quem acredita, político para melhorar a qualidade de vida e familiar, que é a "medicação", a dose de carinho, respeito e amor que nos ajuda a carregar esta " bagagem" tão dolorida e pesada .

Mas, bagagem essa que não impede a viagem!


Abraços!

Luiza Donegá
Psicóloga



Luiza B. Donegá , 50 anos , formada em Psicologia há 25 anos, desde então atendendo na área clínica em consultório particular e em algumas instituições, atualmente, na Casa da Esperança de Santo André .
Trabalhando com pessoas, para que elas conheçam suas potencialidades e as desenvolvam da melhor maneira, focando as suas limitações para que , sejam elas quais forem, não as impeçam de ter qualidade de vida, dignidade e respeito.
Diretora Técnica Adjunta da ABCEM.


2 comentários:

  1. quero dizer sim sei que a esclerose e uma doença ruim que no começo deixa as pessoas tristes e deprimidas mas tbm tem alegria as pessoas com esta doença transbordam felicidade nos encontros que fui senti a alegria de todos eles queriam expressar que tinham a doença mas a doença não era deles fazem 28 anos que convivo com ela mas ela nao faz parte de mim

    ResponderExcluir
  2. É... apesar dos contratempos que enfrentamos ao longo da jornada de cada um, não nos damos por vencido jamais ... Parabéns à todos, que enfrentam cada um há sua maneira, mas são todos guerreiros !👏👏👏

    ResponderExcluir