quinta-feira, 23 de março de 2017

Infecções Urinárias em pacientes com esclerose múltipla


Fonte: https://goo.gl/6IK5Rx

Sintomas urinários ocorrem em até 90% dos pacientes com Esclerose Múltipla em algum momento da doença. As dúvidas, causas e sintomas sempre surgem, motivo pelo qual conversamos com a neurologista Dra. Ana Claudia Piccolo, Coordenadora do Ambulatório de Esclerose Múltipla e Neuroimunologia do Hospital Santa Marcelina – SP,  que nos esclareceu alguns pontos sobre o assunto. Acompanhem!

A infecção urinária é um quadro infeccioso que pode ocorrer em qualquer parte do sistema urinário, como rins, bexiga, uretra e ureteres. Esse tipo de infecção é mais comum na parte inferior do trato urinário, do qual fazem parte a bexiga e a uretra. Sobre isso compreendemos, mas ainda restou a dúvida:  por que as infecções urinárias acometem pacientes com EM? Dra. Ana Claudia explicou: “sintomas de disfunção urinária, como vontade incontrolável de urinar e incontinência (não conseguir segurar) ocorrem devido a lesões localizadas nas áreas envolvidas com o controle da micção, como a região frontal, tronco cerebral e principalmente a medula espinhal”.

“O fato de não haver um esvaziamento urinário completo, pois apesar de haver hiperatividade do músculo da bexiga (detrussor), ocorre também uma hiperatividade do esfíncter da bexiga, faz com que a urina fique parada na bexiga e isso determina maior chance de proliferação bacteriana e consequentemente uma infecção urinária”, disse a doutora.

Os sintomas de infecção urinária mais comuns são:  dor e dificuldade para urinar (disúria), vontade de ir ao banheiro mais vezes urinando um volume menor.

É necessário tratamento rápido e segundo a neurologista deve-se “procurar seu médico imediatamente, pois precisará confirmar a infecção urinária através de exames e iniciar o tratamento através de antibiótico",  e finalizou: “a melhor forma de prevenção é fazer avaliação com urologista que verificará através de estudo urodinâmico o esvaziamento e funcionamento da bexiga”. No caso  de haver esvaziamento inadequado, com um volume residual maior que 150 ml de urina, estará indicada, por exemplo, sondagem urinária intermitente e muitas vezes também será necessário uso profilático de antibiótico.
  
A doutora esclareceu bastante,  né? Fiquem ligados em nossos posts! J
  

Até a próxima!

Ainah Carvalho
Jornalista 

Jornalista, 23 anos, apaixonada por futebol, pelo Corinthians e shows de pagode. "Tenho Esclerose Múltipla, mas posso ter uma vida normal."


2 comentários:

  1. Parabéns pelo post e pelas informações valiosas ... Fique com Deus.
    👏👏👏😊

    ResponderExcluir
  2. Olá meu nome é William Bandeira eu tenho hemofilia e Esclerose multipla eu gostaria mais informações a respeito do trato urinário,

    ResponderExcluir