terça-feira, 14 de março de 2017

Quando a ajuda é necessária

                                                 

Fonte: Google imagens

Muito se fala na nossa relação com a Esclerose Múltipla. Como lidamos com ela, se a aceitamos ou não, se aprendemos ou se ainda estamos aprendendo a conviver com ela. E quando não damos conta? Não conseguimos mais lidar com as nossas emoções e os nossos conflitos?

Eu procurei ajuda profissional, uma psicóloga! Sabe, eu relutei e achava que não era necessário, mas era e sempre foi. Mesmo sabendo que não era um sinal de fraqueza ou loucura, eu ainda não estava pronta para lidar com os meus anseios, achava que sozinha conseguiria. Não consegui e só tive consciência disso quando a minha EM progrediu de remitente recorrente para secundária progressiva. Me deparei com outras inquietações, outros medos e tantos outros questionamentos.

E a relação dos nossos familiares com a EM? Você já pensou nisso?! Se já é ruim lidarmos com algo que nunca pensávamos ter, imagine os familiares. Nós precisamos de apoio e compreensão e eles, queridos esclerosados... também! Não é fácil ver um filho sofrer, deve ser uma dor horrível a qual eu ainda não posso mensurar.

Ainda que os nossos familiares vejam diariamente as nossas limitações e reclamações referentes aos nossos sintomas, ao negar a doença (o que muitos fazem) tudo se torna mais complexo.

Por isso eles também precisam de ajuda! Da mesma forma que temos as nossas angústias e lamentações, eles têm as deles e externar isso e trocar experiências com pessoas que passam pelo mesmo que eles, dá um alívio tremendo, é libertador!

Terapia em grupo para os familiares e cuidadores é essencial, assim como para nós. Então, busque apoio, procure ajuda de um profissional na área da saúde mental, seja pelo SUS, centros de reabilitação ou plano de saúde, o ideal e se possível é que seja pelas associações de EM.  Informação, acima de tudo, é empoderar-se! 

Priscilla Moreira




Sou Priscilla Moreira, uma caiçara que completa 26 anos, todos os anos, há 10 anos. Sou esclerosada, sim! Caduca, senil ou gagá, não! Por ser tão sincera, às vezes me falta o tato, porém me sobram bom humor e otimismo. Amo cachorros (muito mais a minha Manux) balões de aniversário e amoras. No mais, vou seguindo a minha caminhada... desconstruindo preconceitos e tentando ser justa o máximo possível.




3 comentários:

  1. Adorei o assunto abordado nesse post, veio na hora certa.
    Força guerreira! 👏👏👏

    ResponderExcluir
  2. Adorei o assunto minha irma tem EM e realmente é muito dificil para ela e para nos familia. Temos que ter muita fé em Deus porque nesse nosso pais que os
    governantes não estão nem aí com a saude pública, agora mesmo suspenderam os remédios dos EM e aqui quero deixar meu repúdio a essa saúde falida desse nosso pais onde a robalheira tira até os remédios dos doentes quando pagamos tantos impostos caros e vivemos morrendo a míngua isso é revoltante quando isso é uma obrigação dos podere públicos. Só Deus.por Nós porque tá dificil!!! Obrigada pela oportunidade do
    desabafo. QUE DEUS NOS AJUDE!!!.

    ResponderExcluir