segunda-feira, 17 de abril de 2017

A TPM e eu...




Moço, cuidado com ela! 
Há que se ter cautela com esta gente que menstrua... 
Imagine uma cachoeira às avessas: 
cada ato que faz, o corpo confessa. 
Cuidado, moço 
às vezes parece erva, parece hera 
cuidado com essa gente que gera 
essa gente que se metamorfoseia 
metade legível, metade sereia. 
Barriga cresce, explode humanidades 
e ainda volta pro lugar que é o mesmo lugar 
mas é outro lugar, aí é que está: 
cada palavra dita, antes de dizer, homem, reflita.. 
Sua boca maldita não sabe que cada palavra é ingrediente 
que vai cair no mesmo planeta panela. 
Cuidado com cada letra que manda pra ela! 
Tá acostumada a viver por dentro, 
transforma fato em elemento 
a tudo refoga, ferve, frita 
ainda sangra tudo no próximo mês. 
[...]

(Elisa Lucinda, Aviso da Lua que menstrua)


Antes de iniciar o uso do Rebif, eu nunca havia reparado nas alterações pelas quais eu passo durante o período pré-menstrual, a tão famosa TPM. Na verdade, eu sempre achei que não sofria de TPM. Para ser sincera, eu não entendia bem as alterações vivenciadas pelo sexo feminino nos dias que antecedem a menstruação.

Eu sempre sofri de enxaqueca, mas ela sempre foi tão imprevisível que não a ligava à TPM. 

Eu sempre fui muito emotiva. O choro sempre rolou fácil, mas nunca prestei atenção que ele vertia por quase nada durante a TPM.

Entretanto, ao ser diagnosticada com Esclerose Múltipla e ao iniciar o uso do Rebif, tanto as crises de enxaqueca, quanto a emotividade, ficaram de tal forma acentuadas, que não tive como deixar de perceber sua relação com o meu período pré-menstrual. 

Um dos principais efeitos colaterais que o Rebif provoca em mim são as dores de cabeça. Não há analgésico ou anti-inflamatório que eu possa tomar que previnam as dores pós-aplicação. Porém, passei a observar que durante a TPM as dores se transformam em crises de enxaqueca nocauteantes, ficando tão fortes a ponto de me tirarem de cena e nem o mais potente dos analgésicos tem dado conta de fazê-la me dar uma trégua. Sinto mesmo como se uma explosão nuclear fosse ocorrer dentro do meu cérebro, transformando-o em milhões de pedaços.

Por outro lado, percebi, também, que choro por qualquer motivo nesse período. Para ilustrar o tamanho da minha emotividade, tenho chorado até com comerciais de margarina na TV, sem exagero algum.Tudo tem me arrancado lágrimas copiosas. Tudo me deixa sensível, tudo me magoa... é incrível como eu não havia percebido isso antes.

Sem contar que agora tenho tido duas TPMs por mês, pois depois do interferon meu ciclo menstrual passou a ser de 21 dias ou menos até, então, quem merece isso? 

Hoje, estou  no meio de mais uma TPM e, para não fugir à regra, estou com uma enxaqueca daquelas que não desejamos nem para os nossos piores inimigos, quanto mais para nós mesmos. E, quanto ao choro fácil, vou terminar o post por aqui, porque estou ficando com tanta dó de mim mesma que as lágrimas já estão marejando meus olhos (rsrs).


Um beijo todo especial para todas as mulheres que compartilham comigo da tenebrosa TPM!

Bete Tezine



"A arte, em todas as suas formas de expressão, tem o poder de mudar os rumos de uma história que desde o começo estava fadada ao fracasso..." 
 (Bete Tezine)


Nascida em Santo André, SP, 49 anos, advogada, artista plástica, professora universitária de Artes Plásticas, mãe de 2 filhos (1 adulto e 1 adolescente), diagnosticada com Esclerose Múltipla em fevereiro de 2012 e atual presidente da ABCEM


Um comentário:

  1. Eu uso o DIU Mirena que tem hormônios para eu não menstruar !

    ResponderExcluir