quarta-feira, 24 de maio de 2017

Um abraço para um novo significado


Fonte: https://goo.gl/ngSqeP

 No dia 22 de maio, é comemorado o dia do abraço mundialmente. E, quem convive com a esclerose múltipla e já teve como sintoma o abraço, conhece o outro aspecto.

A comemoração teria surgido a partir da iniciativa do australiano Juan Mann que criou a campanha Free Hugs Campaign, em 2004, com o simples objetivo de distribuir abraços "gratuitos" pelas ruas de Sydney.

Presente em todas as culturas, o abraço é uma demonstração de carinho, afeto ou amizade. Existem estudos que falam dos 11 benefício dele, sendo:

1. Aumenta os sentimento de compromisso e intimidade
2. Relaxa o corpo
3. Alivia a dor
4. Aumenta a Empatia e a compreensão
5. Alivia a depressão e outras doenças neurodegenerativas
6. Eleva o humor
7. Alivia o Sistema Nervoso
8. Alivia o stress
9. Melhora a saúde do coração e diminui a frequência cardíaca
10. Aumenta o Sistema Imunitário
11. Reduz a preocupação da Mortalidade

Fonte: Blog ABCEM
Em contrapartida, o abraço para pessoas que convivem com a Esclerose Múltipla é um dos sintomas mais dolorosos, agoniantes e até irritantes. De acordo com o texto de referência da colega Carina Barros que já escreveu a respeito aqui blog da ABCEM (clique aqui para ler o post), a sensação do abraço da EM é um aperto na região do peito, como colocar uma cinta modeladora. O termo científico para esse sintoma é  Neuralgia Intercostal  e cada pessoa descreve que sente de uma forma diferente, desde uma sensação em forma de queimação até formigamento ou agulhadas. Pode durar de alguns segundos a algumas horas e, em casos raros, alguns dias.

É verdade que ninguém deseja sentir dor ou desconforto e considerando que, muitas vezes, vamos nos deparar com um lado positivo e negativo em diversas situações em nossas vidas, precisamos aprender a superá-los.

Podemos escolher abraçar a vida, família, os amigos, novos propósitos de vida, natureza, trabalhar para  propagar o bem, a paz, o amor,  abraçar para  fazer-nos mais confiantes e amáveis, e tal gesto pode nos  ajudar a transformar nossa realidade, fortalecer laços e criar vínculos.
  
Jennifer Araujo 



Formada em Comunicação Social - produção editorial, 31 anos, divorciada, apaixonada por música, viagens e fotografia.





Fontes: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário