segunda-feira, 26 de junho de 2017

A realidade no cinema


Fonte: Google imagens


A sétima arte, grande parte das vezes, mostra como nós vivemos no dia a dia. 

“Imitamos” a arte ou ela “imita-nos”? 

Boa pergunta...

No quesito saúde, alguns filmes trazem abordagens que levam a discussões e reflexões sobre diversas patologias. 

Em 1993,  foi lançado o longa-metragem Filadélfia, protagonizado pelo ator Tom Hanks que interpretou um promissor advogado de um tradicional escritório jurídico que, após descobrir que possuía o vírus HIV, foi demitido da empresa. O filme trouxe informações sobre a AIDS que era algo difícil de ser discutido na época.

Já, em 20014, outro longa-metragem denominado A teoria de tudo, baseado na vida do cientista Stephen Hawking, paciente com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), trouxe para as telas de forma bastante clara o drama da doença. 

Em 20017, filmado em Portugal, o curta-metragem intitulado Preso ao meu próprio corpo, mostra as dificuldades de um paciente com  Esclerose Múltipla.

Em entrevista, a diretora do filme que recebeu o prêmio EM curtas 2017, na categoria escolha do público, Cristiana Vieita, diz que foi importante falar sobre o assunto, pois a esclerose múltipla é uma patologia que não é muito discutida no país (Portugal). Ainda, segundo Cristina, mostrar como é a patologia de forma realista, faz com que fique mais fácil a sua compreensão pelas pessoas.

Para quem ainda não assistiu, deixo aqui o premiado curta-metragem:



Ivi Paula
Jornalista


Ivi Paula, 34 anos, jornalista formada pelo antigo IMES e atual USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul). Diagnosticada com Esclerose Múltipla em dezembro de 2008. Atualmente é Secretária na ABCEM (Associação de Pacientes com Esclerose Múltipla do Grande ABC e região) . 

“Aproveito o momento e falo que tudo que passamos é um aprendizado de ver como reagimos ao saber que estamos com a doença. E o que fazemos para não se sentir uma pedra no meio do caminho? Em minha opinião para não se sentir assim é acreditar no que eu posso fazer para manter o avanço desta doença longe de mim".

(Ivi Paula)


Um comentário: