quarta-feira, 14 de junho de 2017

Quando ficamos sem chão...


Fonte: http://efeitossecundariosdaloucura.blogspot.com.br/2013/04/sem-chao.html

Quando alguém em quem sempre se confiou e sentiu o maior respeito e consideração nos deixa sem ação e sem chão, na verdade sem atitude porque não se espera tal coisa, parece que o chão se abre e sob nós e desaba o céu. O coração fica magoado, frágil, as palavras fogem, somente as lágrimas brotam e uma dor infinita perpassa o coração e todo o ser.

Por mais que se tente entender uma situação dessas não se consegue, porque são anos em você considerou a pessoa como amiga; alguém da sua confiança e repentinamente percebe-se que as palavras de outrora, sem sentido, agora fazem todo o sentido, como lhe apresentar como a colega e não como a amiga, frisar isso em algumas conversas e você se perguntar na época por que colega? Será  que em outros estados é assim? Colega tem o mesmo sentido que amigo?

Fora outras situações nas quais a pessoa se coloca totalmente em cima do muro e não tem a postura de alguém que realmente é amigo. Até onde se compreende, o sentido de amizade engloba tudo: o cobrar, o defender o avisar e no momento em que essas coisas acontecem você não é capaz de tal compreensão; a verdade é que quando se trata de se defender ou defender seu suposto cargo, as pessoas deixam os sentimentos nobres de lado e apenas veem o seu ego, importa tão somente o eu...

Lamenta-se, às vezes, por ser tão ingênuo e se doar tanto porque percebe que não existe a troca, tudo é questão de conveniência, e, então, se pergunta, será que vale a pena o se doar, o se dedicar e ser amigo?  

São situações delicadas que colocam cada um de nós numa sinuca porque se percebe que os valores que construímos não estão em uso. Certo é que alguns de nós já se perguntou: será que ainda vale a pena fazer o bem?


Hoje, olhando tudo isso e apesar do coração muito ferido, eu olho pra dentro de mim mesma na certeza de ter feito o meu melhor e de que ainda assim vale a pena fazer o bem.


Val


53 anos - divorciada - secretária de profissão, atuando nas áreas administrativa e financeira - católica - defensora da causa animal - livro de cabeceira: Bíblia - catequista de crianças da primeira Eucaristia.





2 comentários:

  1. Podemos, por alguns instantes, pensar que não devemos ser bons e fazer o bem. Mas, acredito, que tudo o que pensamos e agimos é energia que vai e volta ao nosso encontro. Então sempre devemos pensar e agir coisas boas para voltar para nós somente coisas boas !

    ResponderExcluir
  2. Val sou fa.adoro teus textos, sempre mto bem escritos..

    ResponderExcluir