terça-feira, 4 de julho de 2017

Corpo + mente = qualidade de vida


Fonte: http://br.freepik.com/vetores-gratis/projeto-abstrato-do-fundo_1041967.htm#term=engrenagem&page=3&position=4

Vamos iniciar nosso raciocínio de hoje imaginando uma máquina composta de diversas peças com variados tamanhos. Das maiores até as mais pequeninas. TODAS devem estar funcionando no mesmo ritmo para produzir algo. Se umas das peças está quebrada ou fora do ritmo, consequentemente irá atrapalhar o desempenho da produção. Assim, podemos trazer esse raciocínio para nossa saúde.

Se um dos nossos órgãos está doente, fora de ritmo, irá sobrecarregar ou até deixar de funcionar outro órgão, interferindo no desempenho do nosso organismo.


Agora, vamos nomear: 

“engrenagens = corpo + mente” e “máquina = indivíduo como um todo”

Fonte: Acervo próprio


Quando há uma pequena falha em nosso corpo, imediatamente nossa mente é atingida e vice-versa. Trazendo isso para o nosso cotidiano, quando se está com enxaqueca ou até mesmo nos dias em que a fadiga marca presença, como nos sentimos mentalmente? Atinge nossas emoções? COMPLETAMENTE.  Ficamos mentalmente exaustos, deprimidos, irritados. E somos produtivos em nossas atividades? Podemos até ser, fazendo um esforço gigantesco. Mas, como fica o resultado desta produção? Satisfatório? Somos um conjunto de engrenagens.

Diversas patologias também aparecem quando nossa saúde mental está esgotada, como por exemplo após um momento difícil em nossas vidas, em relações pessoais, no trabalho, na família etc. 

Para podermos ter o melhor funcionamento entre corpo e mente – a maior parte do tempo – devemos nos empenhar em encontrar o que nos faz bem. Algo que nos faça ter um momento a sós com nós mesmos, que realmente possamos dizer: “Este é o MEU momento”. O que pode ser? Bem... que tal refletirmos sobre isso?

O que te faz feliz?

Como está sua qualidade de vida?


Luci Takiuchi
Terapeuta ocupacional



Graduada em Engenharia de Produção pela Faculdade Mauá em 2004 e em Terapia Ocupacional pela Faculdade de Medicina do ABC em 2016. Atualmente é terapeuta ocupacional do Centro de Tecnologia e Inclusão em São Paulo. Diretora técnica da ABCEM.





Stephanie Santos
Terapeuta ocupacional


23 anos, Terapeuta Ocupacional (CREFITO: 18065-TO) formada pela Faculdade de Medicina do ABC,Pós Graduanda em Psicomotricidade pela FMU. Atualmente atua como terapeuta ocupacional no Espaço Arte Psico, em São Bernardo do Campo, e na Clínica Ceccat,o em São Caetano do Sul. Artesã nas horas vagas, e apaixonada por viagens (as literárias também).


Um comentário:

  1. Escrever sobre mim mesma (diário), me faz muito bem. Principalmente quando releio muitos anos depois !

    ResponderExcluir