segunda-feira, 3 de julho de 2017

EM e eu


Fonte: Google imagens

Lendo agora o post de Liane Moreira (clique aqui para ler), pensei em minha vida depois que a Esclerose Múltipla começou a fazer mudanças nela.

Parei de dirigir, o que me deixou dependente dos outros para ir até a padaria sozinha, pois nem força nas pernas e equilíbrio eu tinha 
para isso.

O que mais me incomodava, e incomoda até hoje, é isso de depender dos outros. Sempre fui muito independente, queria fazer tudo sozinha! Meus pais sempre me barraram muito nisso, então, quando finalmente consegui minha independência financeira, alcei novos horizontes.  Aí me casei pela primeira vez e meu ex-marido me tolhia muito. Voltei a ser dependente dele financeiramente pois parei de trabalhar (erro) e não podia fazer o que eu gostava porque ele não gostava, como ir em danceterias, por exemplo.

Daí, depois da separação veio a EM... Quando achei que poderia voltar para minha independência e voltei a morar com meus pais, mas no apartamento embaixo do deles, pois depois de morar 9 anos sozinha (2 deles estando casada) eu não iria voltar... Era inconcebível para mim tanta dependência e controle.

A EM estava piorando... Aí conheci meu atual marido que me acolheu e acolheu minhas limitações também!

Hoje convivo muito bem com a EM e tenho esse companheiro fantástico que me ajuda muito, mas minha ânsia por voltar a ser independente ainda é forte. E ainda bem que é forte, pois consegui fazer coisas que até eu duvido que fiz. Já fomos 2 vezes para Caldas Novas. Lá desci numa tirolesa, desci num toboágua, fui em escorregador pequeno e num grande para cair na água. Fiz muitas coisas que uma pessoa com limitações, principalmente pessoais (medo), não faria.

Então, chego a uma conclusão: TENDO UMA PESSOA PRA NOS AJUDAR A REALIZAR NOSSAS VONTADES, E QUERENDO REALIZÁ-LAS, CONSEGUIMOS !!!





Isamara Cardoso Pimentel



Publicitária aposentada por invalidez

Diagnosticada com esclerose múltipla desde 2007





3 comentários:

  1. Que legal Isamara! Tbm me casei e meu primeiro marido tbm não me deixou estudar, ai dependente dele sempre, até um dia que resolvi e fiz o curso de técnico em enfermagem, que fou minha salvação, pois ai me separei e pude trabalhar. Só que 5 anis depois veio a EM e me deixou com algumas limitaçoes tbm. Casei de novo, mas nunca deixei de fazer o que eu dava conta sabe, assim ia até além di meu limite, mesmo morrendo de fadiga depois. Kkkkkk. E esse segundo foi muinto bom ora mim, mas agora,separei de novo, somos ótimis amigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem, Karla !!! A gente aprende depois dos tombos, né ?

      Excluir
  2. Temos que nis mantermos sempre firmes!!Beujos!

    ResponderExcluir