quinta-feira, 20 de julho de 2017

Quando o outro não entende seu dia de "luto"


Fonte: http://redsensations.blogspot.com.br/2015/05/sozinha.html

É muito comum ouvirmos "críticas" a respeito do nosso humor no cotidiano. Quem nunca sentiu vontade de ficar quietinho em determinado dia? Às vezes, a gente se afasta porque sabe que não está muito bem para interagir com as pessoas. Porém, isso pode ser confundido com o famoso "isolamento" e, consequentemente, recebemos muitas críticas em relação a tal atitude que tomamos.

O que muitos não lembram é que somos feitos de altos e baixos.Talvez esse seja mais um sintoma da Esclerose Múltipla. Por mais que tudo esteja caminhando bem em nossa vida, um dia a gente acorda com uma incerteza ou uma insegurança que acomete a maioria dos pacientes com EM, e isso, de certa forma, nos causa dor.

Eu, pelo menos, só queria que esse dia que meu psicológico escolheu pra mim fosse respeitado. É mais difícil ainda você saber que o seu humor vai afetar todos ao seu redor, pois, dessa forma, cria-se uma responsabilidade/ obrigação de estar bem para ver os outros bem.

Em contrapartida, nós nos conhecemos e sabemos que no dia seguinte estaremos bem novamente e que a esperança irá se renovar. É normal, é o ciclo da vida, é assim mesmo.

Por isso, amadas pessoas que convivem conosco diariamente, tenham paciência, tenham cuidado conosco, tenham carinho, mas também tenham compreensão para com nossos momentos de "luto".

Pérola Diniz Pessanha
Estudante de Direito



Meu nome é Pérola, tenho 20 anos e tenho EM desde os 19. Sou estudante de Direito e apaixonada pela vida.







Nenhum comentário:

Postar um comentário